… bom é quando faz mal.

Retrocesso

Posted on: 16 janeiro, 2009

Uma das coisas que venho analisando ao longo dos anos, é minha capacidade (será que posso chamar assim?) de regredir na progressão dos meus relacionamentos. Quero dizer, o mais comum acredito ser uma evolução. Conforme você fica mais maduro, a tendência é saber lidar melhor com as situações e consequentemente fazer com que as relações durem mais. Só que no meu caso, parece ser o inverso, por mais que eu acredite que tenha evoluído.

Talvez eu tenha mesmo evoluído, e tudo isso é consequência do destino, ou uma ligeira (leia um forte sarcasmo aqui) falta de sorte. A verdade é que se for tirar como experiência, de lá pra cá, as coisas só tem piorado. Colocando de lado os detalhes, a intensidade, o lado positivo e negativo de todas as relações, e me baseando apenas na questão tempo, eu tenho aqui algo no mínimo curioso. Uma com duração de quase 3 anos, que após o fim, demorou cerca de 1 ano até começar uma nova. Essa que durou pouco mais de 1 ano, e foi seguida de um recesso de mais de 2. A última tentativa, não chegou nem aos 6 meses, e baseado nas estatísticas, tenho medo de quanto tempo levará o novo recesso. Não que eu esteja necessitando, mas é de ficar com um pé atrás.

Outro fato, é que apesar de eu ser totalmente aberto e me sentir realmente confortável com relações duradouras, eu assumo não ter muita habilidade no fator “manutenção” – e tenho minhas suspeitas de onde vem isso. E ao mesmo tempo, eu sou muito seletivo na hora de parar com alguém para namorar. Mas essa seleção é totalmente inconsciente. Não tenho uma lista de qualidades exigidas nem defeitos suportáveis. Simplesmente é difícil eu me apegar tanto à alguém ou simplesmente acreditar que aquela pessoa pode ser uma boa companhia. Por essa e outras, comigo a coisa é meio que 8 ou 80. Ou dura muito ou não dura nada. É claro que pelo menos 50% das vezes não é culpa diretamente minha, já que tenho uma habilidade nata em criar falsas esperanças com as coisas, e viver quebrando a cara.

Enfim… eu acho que nunca escrevi algo do gênero por aqui nesse blog – e conto nos dedos da mão as vezes que fui tão pessoal e claramente objetivo, em qualquer blog, em todos esses últimos 10 anos -, mas é que eu precisava de uma introdução mais descontraída de um post que estou terminando, e que dentro de alguns dias vai pro Um Segundo.

Anúncios

1 Response to "Retrocesso"

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH eu escrevi coisa pra caralho aqui e esse teu blog comeu tudo só pq esqueci de colocar meu e-mail

Ô RAIVA
:X

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Perfil


GRINGO. Também conhecido como Rafael. "Jack of all trades, master of none" - Competente em muitas coisas, especialista em nenhuma. Carioca, mas um dia ainda vai conseguir ir morar no Sul. Fotógrafo, designer, redator e editor de vídeo - mais ou menos nessa ordem. Já foi jornalista underground, editor de site de música e produtor de shows. Amante incondicional de tequila, mas não dispensa a boa e velha roda de cerveja com os amigos. Amante também da arte, em todos os aspectos. Deveras sonhador, mas determinado o bastante para conseguir as coisas que almeja. Violent mood swings: Humor um tanto quanto instável, embora as mudanças felizmente não durem muito tempo. Realista. Teimoso. Senso crítico apurado. Melhor amigo de Murphy.

Visitas

  • 9,595 hits

RSS Inside Techno

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
%d blogueiros gostam disto: